Serra diz que ‘elementos novos’ do mensalão devem ser investigados e pede manifestação de Lula

Candidato do PSDB a prefeito de São Paulo disse que o ex-presidente já devia satisfações ao País

Bruno Boghossian / O Estado de S. Paulo,

15 de setembro de 2012 | 16h36

Depois da publicação de declarações atribuídas ao empresário Marcos Valério sobre o envolvimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no esquema do mensalão, o candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, disse que todos os "elementos novos" do caso devem ser investigados. Serra, que tem usado o escândalo na campanha eleitoral contra o PT de seu adversário Fernando Haddad, afirmou ser "oportuno" que Lula se manifeste sobre as acusações que teriam sido feitas por Valério.

"Ele (Lula) já devia satisfações ao País porque, primeiro reconheceu que havia o mensalão, depois disse que não havia e o Supremo diz que havia. Sem dúvida nenhuma, seria oportuno se ele se manifestasse sobre isso", disse o tucano. "Agora, há mais elementos, elementos novos que já se anunciavam e que devem ser investigados".

Em reportagem na edição deste fim de semana, a revista Veja atribui a Valério declarações que apontariam Lula como "chefe" do esquema do mensalão. Segundo o empresário teria dito a interlocutores, a movimentação financeira do esquema teria chegado a R$ 350 milhões, acima do valor apurado pelas investigações da Polícia Federal. Ainda conforme Veja, Valério teria dito que se encontrou com Lula no Palácio do Planalto em mais de uma ocasião e pelo menos uma vez no Alvorada, residência oficial da Presidência da República.

Serra não acusou Lula diretamente e não o citou nominalmente, mas afirmou que as informações da reportagem atribuídas a Valério devem ser investigadas.

"Eu não faço pré-julgamento, mas quero que as coisas sejam julgadas e investigadas. As coisas devem ser entregues às mãos do Ministério Público e do Poder Judiciário", disse. "(As declarações) mostram a gravidade daquilo que aconteceu no Brasil e mostram também a necessidade de que (o caso) continue sendo aprofundado, até como satisfação a nossa população, que repudia muito o desvio, a corrupção e a montagem de quadrilhas."

Em sua campanha pela Prefeitura, o candidato tucano utiliza um discurso se oposição ao PT, atrelando o partido a denúncias e escândalos de corrupção, com o objetivo de atrair o eleitorado antipetista da cidade.

Serra citou o processo do mensalão em discursos e na propaganda eleitoral da TV. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) gravou uma mensagem de apoio ao candidato em que cite o julgamento do escândalo. Em uma peça publicitária, a campanha tucana tenta ligar a imagem de Haddad a líderes do PT acusados de comandar o esquema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.