Fernando Cavalcanti / Milenar
Fernando Cavalcanti / Milenar

Serra divide palanque com Alckmin e Kassab

Pré-candidato do PSDB participou de inauguração do Parque do Belém, na zona leste de SP

Bruno Boghossian, estadão.com.br,

23 de junho de 2012 | 13h59

Na véspera da convenção que lançará oficialmente seu nome à Prefeitura de São Paulo, José Serra (PSDB) apareceu ao lado de dois de seus principais aliados: o prefeito Gilberto Kassab (PSD) e o governador Geraldo Alckmin (PSDB). O pré-candidato subiu ao palanque de inauguração do Parque do Belém, na zona leste da capital paulista.

Serra deve usar como estratégia de sua campanha tanto a defesa da gestão Kassab - iniciada por ele próprio em 2005 - quanto sua provável facilidade para fechar parcerias com Alckmin. Em seus discursos, o tucano costuma fazer menção a projetos inaugurados no município nos últimos oito anos e cita obras lançadas pelo governo do Estado.

O pré-candidato do PSDB não discursou, mas ficou no centro do palanque, entre Alckmin e Kassab. Também participou do descerramento da placa inaugural do parque e foi citado pelas autoridades como um dos responsáveis pelo desenvolvimento do projeto.

Em seu discurso, Kassab se referiu a Serra como "um grande líder da cidade e responsável por grande parte das transformações que fazem de São Paulo uma cidade cada vez melhor".

Alckmin voltou a elogiar o pré-candidato em uma entrevista ao fim do evento e disse estar "animado" para a convenção deste domingo, 24. "Há uma aliança importante, de cinco partidos, e bons candidatos a vereador. Acho que o Serra está preparado para a campanha, conhece São Paulo, tem experiência e tem liderança", afirmou o governador.

Chapa tucana. A pedido do grupo de Serra, o PSDB decidiu adiar a escolha dos candidatos a vereador pela coligação liderada pelo partido. Como os tucanos decidiram abrir espaço em sua chapa para PSD, DEM e PR, a equipe do pré-candidato acreditava que a sigla criaria um "constrangimento" interno caso anunciasse hoje a exclusão de nomes do próprio PSDB com o objetivo de acomodar os aliados.

"Não faz sentido nenhum cortar nomes antes desse momento que deve ser de festa. Geraria uma insatisfação dentro do próprio partido", argumentou o vereador Floriano Pesaro, que integra a equipe de campanha de Serra. A chapa de vereadores só será definida na semana que vem - portanto, após a convenção partidária.

O PV, que também apoia Serra, pediu para integrar a coligação de vereadores encabeçada pelo PSDB, mas não deve ser contemplado por enquanto. Na quinta-feira, os dirigentes do partido aprovaram apenas a formação da chapa PSDB-PSD-DEM-PR. A decisão pode ser revertida, mas obrigaria a sigla a reduzir ainda mais o número de vagas de cada aliado na coligação.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012josé serraPSDBSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.