Serra descarta mudar rotina às vésperas de 1º debate

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, disse hoje que não pretende mudar sua rotina para se preparar para o primeiro debate das eleições, a ser feito pela Bandeirantes na quinta-feira. "Eu estou diariamente preparado para o debate. Todo dia, numa campanha, a gente tem de estar preparado e eu estou", disse, após uma caminhada de campanha no bairro da Liberdade, região central da capital paulista.

CAROLINA FREITAS, Agência Estado

02 de agosto de 2010 | 17h55

O tucano comparou a participação em debates às entrevistas que concede quase diariamente a jornalistas. "Vocês não imaginam que uma entrevista seja mais fácil que um debate. Não é não", afirmou. "Os debates não são decisivos, mas estão dentro de um conjunto de coisas importantes numa campanha." Sem responder quem será seu alvo no debate, Serra disse que pretende discutir ideias, propostas e "mostrar o que fez pelo País ao longo da vida pública".

O candidato tucano fez uma caminhada de pouco mais de meia hora pelo bairro oriental de São Paulo e foi recebido na Associação Cultural e Assistencial da Liberdade (Acal). Durante a caminhada, diante do empurra-empurra de cerca de 20 cinegrafistas e fotógrafos, Serra lançou uma nova modalidade de campanha, a "corridinha". O candidato surpreendeu jornalistas e seus próprios seguranças ao sair correndo repentinamente do meio da confusão. Serra fez isso por duas vezes e causou risos nos que o acompanhavam.

Na rua, Serra foi recebido de forma amistosa pelos populares que se aproximavam dele para apertos de mão. Ele recebeu de presente de uma eleitora de Santa Catarina um DVD com uma apresentação da Orquestra Filarmônica de Itajaí. Aproveitou para fazer uma promessa: "vou arrumar a BR-470 no seu Estado. Vou fazer direito".

Na associação cultural do bairro, Serra recebeu de presente dos diretores da entidade um daruma, um boneco que é uma espécie de talismã japonês que representa sorte e perseverança. Serra seguiu a tradição japonesa de, ao receber o daruma, pintar o olho esquerdo do boneco e fazer um pedido. O olho direito deve ser pintado apenas quando o pedido for realizado.

Contra as indicações dos descendentes de japoneses que o presentearam, Serra revelou aos jornalistas, em entrevista, o que desejou. "Meu desejo é poder levar o Brasil para frente, fazer acontecer", afirmou, esperançoso de que vá conseguir pintar o olho direito do daruma após as eleições: "Venho aqui pintar o olho direito em outubro ou novembro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.