Serra: déficit em conta corrente em 2011 é 'preocupante'

O candidato do PSDB à sucessão presidencial, José Serra, classificou como "preocupante" a previsão do Banco Central (BC), divulgada hoje, segundo a qual o Brasil deve ter um déficit nas transações correntes de US$ 60 bilhões em 2011. "É um problema e é um obstáculo para o crescimento futuro do País", disse o tucano, após se reunir com artistas na capital paulista.

ANNE WARTH, Agência Estado

21 de setembro de 2010 | 16h58

"É um problema, sem dúvida, muito, muito grande, que aumenta o endividamento do País. Seja o endividamento direto, por empréstimos, seja aquele que decorre da entrada de dinheiro estrangeiro para a Bolsa, que é basicamente dinheiro especulativo", destacou.

O candidato disse que vem alertando sobre a questão do déficit na conta corrente há muito tempo. "É um problema não para hoje, mas para amanhã, e a gente tem que pensar no amanhã para manter os bons empregos e criar aqueles que precisam ser criados. E só acontece com a economia crescendo de maneira sustentada", afirmou.

Serra ainda demonstrou preocupação com o fato da projeção de que o déficit para 2011 será maior que o previsto para este ano pelo BC, de US$ 49 bilhões (2,49% do PIB). No ano passado, o déficit foi de US$ 24,302 bilhões (1,54% do PIB).

"Aumentar o déficit externo nesse ritmo é sem dúvida uma fragilidade. Chegando ao governo, vou enfrentar essa situação, porque isso enfraquece a economia brasileira. Não se pode deixar essa questão solta", afirmou Serra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.