Serra defende atitude firme após aprovação da TPA

O ministro da Saúde, José Serra defendeu hoje, em Ribeirão Preto, que o Brasil assuma "uma postura firme" frente aos Estados Unidos, após a aprovação, pela Câmara dos Estados Unidos, da Trade Promotion Authority (TPA), mecanismo que permite ao governo dos EUA negociar acordos comerciais sem o risco de vê-los modificados pelo Congresso."O Brasil vai ter de fixar suas condições. Eles estão fixando as deles, vamos fixar as nossas", afirmou. Para o ministro, a medida não interfere e não acelera nas negociações da Área de Livre Comércio das Américas (Alca). "A medida não nos cria obrigação nenhuma. Os países desenvolvidos são sempre partidários do livre comércio naquilo que beneficia a eles. Então, eles são partidários do livre comércio em automóveis, por exemplo. Não em agricultura ou em aço, que é onde o Brasil ganha e é aí que tem de entrar a negociação firme", disse."Os países desenvolvidos são, como se dizia no Chile, padre gatica, predica e não pratica, em matéria de livre comércio", completou.Serra, que participou de aula inaugural do curso de qualificação em enfermagem em Ribeirão Preto, ressaltou que soube da aprovação da medida nos Estados Unidos por meio dos jornais e ainda não estava inteirado sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.