Serra critica falta de investimentos em aeroportos

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, rebateu hoje sua adversária na disputa eleitoral, Dilma Rousseff (PT), e acusou o governo federal de, por falta de investimentos, ter causado um "colapso" nos aeroportos brasileiros. "Não se fez nada em oito anos. Isto é tempo suficiente para reformar todos os aeroportos do Brasil com o pé nas costas", disse o tucano, na capital paulista. "Dos 20 principais aeroportos do Brasil, 19 estão em colapso, congestionados e afogados. Isso tem reflexo no tempo de espera dos passageiros", afirmou.

CAROLINA FREITAS, Agência Estado

03 de agosto de 2010 | 19h06

Ontem Dilma defendeu a gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e afirmou que por muito tempo não houve investimentos nos aeroportos brasileiros. "Conseguimos recuperar vários aeroportos, mas, em oito anos, você não faz tudo." Serra ironizou a tentativa de Dilma de responsabilizar os governos anteriores pelos problemas nos aeroportos. "Brincadeira, né?!", respondeu. "Não faz sentido esperar o final do governo para dizer que a culpa é dos oito anos anteriores. No governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), foram feitos novos aeroportos em pelo menos 10 Estados. A superlotação ocorreu nesta década e nada foi feito para enfrentá-la, fora planos e anúncios."

Serra falou sobre a situação dos aeroportos ao ser questionado sobre o grande número de voos atrasados da companhia aérea Gol nos últimos dias. O tucano disse que os problemas com a companhia aérea eram questão de regulamentação, fiscalização e punição, a serem feitas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Arrecadação

O candidato do PSDB admitiu preocupação com o fato de sua campanha ter arrecadado menos recursos até agora que a das adversárias Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PV). "Preocupa", disse, ao ser questionado. "Mas eu espero que os recursos entrem." Na primeira prestação de contas da campanha ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), feita hoje, o PSDB declarou arrecadação de R$ 3,7 milhões, enquanto o PV afirmou ter arrecadado R$ 4,65 milhões e o PT, R$ 11,6 milhões.

O candidato reiterou que não mudará a rotina nos dias que antecedem o primeiro debate eleitoral deste ano, às 22 horas de quinta-feira na TV Bandeirantes. "Todo debate é importante dentro de uma campanha. Nada é decisivo, mas tudo pesa." Serra negou que se considere mais preparado que os adversários para o evento. "Seria muita pretensão minha."

Gabeira

O último compromisso de campanha de Serra hoje em Heliópolis, na zona sul da capital paulista, foi a visita a um Ambulatório Médico de Especialidades (AME). O tucano contou com a companhia do candidato do PV ao governo do Rio de Janeiro, Fernando Gabeira. Questionado, Serra evitou comentar sobre um possível atrito entre tucanos e o PV no Rio de Janeiro, por conta de um repasse de recursos que teriam sido prometidos pelo PSDB à campanha de Gabeira. "Eu não estou por dentro da campanha do Rio, mas tem muita fofoca e mentiras em jornais sobre esta história."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.