Serra critica declaração de Lula de que errar é humano

O prefeito de São Paulo, José Serra, rebateu nesta terça-feira a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que "errar é humano", feita durante discurso na festa de 26 anos do PT, na última segunda-feira. Serra, que vem se esquivando de temas ligados à política nacional, aproveitou a inauguração da estrutura de uma escola na zona leste da capital paulista para dar uma nova versão para a questão: "Errar é humano, mas a impunidade é desumana." Lula disse a frase ao referir-se de forma indireta aos petistas envolvidos no esquema do mensalão.Crítica semelhante foi feita ontem pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, principal adversário de Serra no PSDB, na disputa pela candidatura à Presidência da República. Serra disse que o que um presidente da República deve fazer é "atuar para coibir abusos e punir culpados, e não ficar absolvendo". "A absolvição é divina, o presidente da República tem que fazer cumprir a lei, investigar e combater as coisas, e não filosofar inutilmente, como é feito no caso", completou.Mais uma vez, o prefeito esquivou-se de responder sobre as eleições deste ano e sobre as pesquisas de opinião, sobretudo a CNT/Sensus, divulgada na terça-feira, que mostra a recuperação do presidente Lula e a queda da preferência por seu nome entre o eleitorado. José Serra evitou dar mais detalhes do encontro que será realizado na quinta-feira entre as principais lideranças do PSDB. "É um encontro para discutir desenvolvimento, inflação e taxa de juros, e virão várias pessoas. É o que eu tenho a dizer, não há nada de especial nesta data."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.