Serra critica clientelismo ao invés de investimento social

O governador de São Paulo não deu nomes, mas referiu-se à política de transferência de renda

Tatiana Fávaro, de O Estado de S. Paulo,

19 de fevereiro de 2009 | 15h02

O governador de São Paulo José Serra (PSDB) criticou nesta quinta-feira, 19, em Hortolândia, interior de São Paulo, o que ele classificou com clientelismo ao invés de investimento social. Serra não deu nomes, mas referiu-se à política de transferência de renda. As criticas foram feitas durante o anúncio da construção da primeira fábrica da empresa espanhola Construcciones y Auxiliar de Ferrocarriles SA (CAF no Brasil).  A CAF é uma das 4 maiores fabricas de trens e equipamentos ferroviários do mundo e vai inicialmente produzir composições para o Metrô de São Paulo para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Serão 57 trens, sendo 17 para o Metrô e 40 para a CPTM.  "Nós estamos transformando a CPTM em metrô de superfície, dando-lhes o mesmo padrão de qualidade do metrô", disse o governador. "Portanto, estamos materializando uma grande prioridade social. O investimento que estamos fazendo em trens é um, dos investimentos mais sociais que existem. Tem gente que tem dificuldade de entender isso, porque acha que desenvolvimento social é só fazer clientelismo ou então adotar políticas de transferência de renda, que são o corretas. Mas achar que se resume a isso praticamente, quando na verdade desenvolvimento social significa emprego e, entre outras coisas, transporte barato, eficiente e de boa qualidade", afirmou Serra, que foi aplaudido pelos correligionários.  A CAF informou que a fábrica vai abrir ao menos mil postos de trabalho quando estiver em funcionamento. A previsão para o início das operações é de 6 meses.

Tudo o que sabemos sobre:
José SerraPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.