Serra critica antecipação de campanha presidencial

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), criticou hoje em Diadema, no Grande ABC (SP), a antecipação da campanha eleitoral para presidente e rebateu alegações de que o governo do Estado não investe na área social. Mais falante que nos últimos eventos de que participou, Serra discursou sobre várias iniciativas do governo de São Paulo e, num discurso de quase 15 minutos, sobrou até "elogios" para o PT, que, segundo ele, "é bom de comunicação."

ANA CONCEIÇÃO, Agencia Estado

22 de dezembro de 2009 | 18h25

Após detalhar a ampliação do trecho Diadema-Morumbi do corredor de ônibus que liga São Mateus, na zona leste, ao Jabaquara, na zona sul da capital paulista, Serra disse que ainda há muito a fazer no Estado e criticou a antecipação da candidatura a presidente. "Estou especialmente dedicado ao trabalho de governador de São Paulo. Há muita tentativa de dispersar esse trabalho com questões eleitorais, mas essa tentação, para mim, não pega", disse. Mais tarde, após o pronunciamento, não quis revelar quem estaria tentando lhe tirar o foco do trabalho como governador, se PT ou PSDB.

Ainda durante a fala, o governador de São Paulo rebateu críticas de que o governo estadual não investe na área social. "Não é verdade. Investimos muito", afirmou, para depois argumentar que obras como o corredor de ônibus também atendem um projeto social, na medida em que beneficiam os moradores da região.

Em outro momento do discurso, ao relatar investimentos de R$ 500 milhões da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) em obras de saneamento no Grande ABC, que não constavam do pronunciamento preparado pela equipe dele, Serra elogiou o PT e fez uma crítica em tom de brincadeira ao PSDB. "Isso (o investimento) não está no meu briefing. Tucano não é bom de comunicação como o PT. Eles são craques."

O governador e o secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado, José Luiz Portella, deram início hoje às obras de ampliação do Corredor Metropolitano de São Mateus-Jabaquara, no trecho entre Diadema e o Morumbi. O corredor é gerenciado pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) e a ampliação receberá investimento de R$ 24 milhões. Na ocasião, também foi assinado um acordo de cooperação para o projeto do metrô leve com as prefeituras de São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul. Na sexta-feira, o Ministério das Cidades liberou R$ 27,6 milhões para a elaboração do projeto da obra.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2010José Serracampanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.