Serra conversa com tucanos em Brasília

O presidente nacional do PSDB, José Serra, pré-candidato a prefeito de São Paulo, estará em Brasília nesta quarta-feira para conversar com colegas de partido no Congresso. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que disputou com Serra a indicação do partido para a candidatura presidencial em 2002, considerou a decisão de lançamento da candidatura a prefeito um fato político importante e opinou que a eleição terá caráter plebiscitário."É um fato político muito importante, na medida em que uma liderança do porte de José Serra se coloca à disposição do partido para concorrer à prefeitura da mais importante capital brasileira", disse Jereissati. "Essa eleição extrapola os limites de São Paulo, pois terá um caráter plebiscitário, pois se confrontarão candidatos que representam diretamente o governo Lula e a oposição", completou.O líder tucano no Senado, Arthur Virgílio (AM), preferia aguardar a confirmação da candidatura por Serra. Mas, se ele sair mesmo, "terminará na frente", disse. Virgílio afirmou que conhece três tipos de campanha eleitoral: a que o candidato entra sabendo que será derrotado; aquela sofrida e com resultado imprevisível, e a que o candidato sai na frente e termina na frente. "Este último é o caso do Serra. Ele é um upgrade (atualização de programa) para São Paulo. É gestor seguro e já testado. Dali, não sairá tolice administrativa".O senador Teotônio Vilela Filho (PSDB-AL) demonstrou mais entusiasmo com a candidatura do ex-senador, dizendo que, agora, pensa em ser candidato a prefeito de Maceió. Vilela também enalteceu a capacidade administrativa do colega: "É um gestor de inegáveis méritos. Ganha metade da eleição só pelo caráter emblemático de sua candidatura".Amigo de Serra, o deputado Antônio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP) foi um dos que incentivaram o colega a aceitar o desafio. Negou que a decisão tenha alguma relação com o abalo na candidatura do ex-prefeito Paulo Maluf (PP). "Isso é irrelevante". Para ele, a candidatura de Serra unifica o PSDB. "Serra é o desaguadouro natural das intenções de votos de todos aqueles que estão desiludidos com o governo e com o desempenho da prefeita de São Paulo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.