Serra considera "baixaria" e "apelação" queixas de Marta

O candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, José Serra, considerou hoje como "baixaria" e "apelação" as queixas sobre perseguição e preconceito feitas hoje pela candidata à reeleição Marta Suplicy e seus correligionários do Partido dos Trabalhadores (PT).Durante evento com idosos em Vila Prudente, na manhã de hoje, Marta chorou ao comentar que estava sendo vítima de perseguição da imprensa, enquanto os prefeitos reeleitos de Aracaju, Marcelo Deda , e do Recife João Paulo de Lima e Silva, ambos do PT, disseram que ela tem enfrentado dificuldades na disputa com o tucano, por causa do preconceito."Isso é típico da baixaria. O que está em juízo e em julgamento é a administração dela na cidade", reagiu Serra, em tumultuada entrevista concedida na Cohab JK, em Guaianazes, zona leste da Capital. "Dizer que está sendo perseguida porque é mulher, imagina...Muito pelo contrário, as mulheres têm um papel muito importante aqui em São Paulo e é administração dela o que está sendo julgado. Isso é apelação, é conversa fiada", acrescentou.O candidato tucano reiterou que o PT é o responsável pela elevação da temperatura da campanha, acusando o partido de "intensificar e terceirizar os ataques, trazendo, inclusive, um senador de Brasília para falar em nome da prefeita", numa referência ao líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP). "Estamos torcendo até para que ele participe mais, porque quanto mais o Mercadante aparece, mais votos para nós", ironizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.