Serra condena Maluf e Marta por endividamento

O candidato a prefeito de São Paulo pelo PSDB, José Serra, criticou seus dois mais próximos adversários na corrida eleitoral por causa do endividamento municipal. Para ele, o problema deve ser separado em dois para análise: o estoque, que atribuiu ao candidato do PP, o ex-prefeito Paulo Maluf, e o déficit fiscal (receitas menos despesas) atribuído à administração atual, de Marta Suplicy, que tenta a reeleição pelo PT.Serra, que esteve no Rio para fechar uma parceria política com o prefeito César Maia (PFL), candidato à reeleição, disse que o primeiro problema "vem da primeira metade dos anos 90, com Maluf e os precatórios"."Lembram disso?", perguntou, recordando o escândalo da emissão de títulos públicos sob o pretexto de pagar dívidas da Prefeitura com a Justiça. Na prática, as dívidas eram simulações os papéis eram negociados com enorme deságio pelos bancos, e o dinheiro era desviado para outros usos, segundo Serra.Mas é a tendência de aumento da dívida que o preocupa mais. "O déficit foi de mais de R$ 200 milhões em 2002, se aproximou de R$ 600 milhões em 2003, e este ano caminha para ser maior. Este déficit magnifica o problema", disse.Serra considerou, porém, que há solução para o problema além da renegociação da dívida, com medidas de austeridade. "Há uma margem muito grande, imensa," para cortes de despesa e inclusive por desperdício", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.