Serra comenta liderança na pesquisa DataFolha

Em primeiro lugar na pequisa DataFolha com 37% das intenções de voto, o candidato do PSDB,José Serra adotou o discurso da humildade. ?Vi os resultados com muita satisfação. É bom estar bem situado nas pesquisas. Sei no entanto que pesquisa é uma fotografia; o que vale mesmo é a pesquisa do dia da eleição na urna. Nós vamos tomar a pesquisa como um incentivo para continuar a batalha?, disse.O candidato desprezou a afirmação do ministro da Casa Civil, José Dirceu, de que os tucanos estariam contando com a vitóriaantes do tempo. ?Essa é uma declaração sem sentido?. Serra disse acreditar que a alternância do poder em São Paulo possa serbenéfica, e rebateu mais uma vez a declaração de Marta Suplicy (PT), de que haveria ?crise política? caso o PT não mantivesse aprefeitura. ?Eu vejo tendências autoritárias no PT. É uma espécie de bolchevismo sem utopia?, afirmou.O tucano participou no início da noite deste domingo de um debate promovido pela Congregação Israelita Paulista e ganhou do rabinoHenri Sobel um livro de orações. O religioso brincou: ?As vésperas das eleições, Serra, você vai precisar dessas orações.?Serra não poupou elogios às atividades filantrópicas da comunidade judaica eanunciou que pretrende criar uma secretaria municipal do voluntariado para organizar o setor. Também propôs a criação de um?poupatempo? municipal para facilitar, por exemplo, a abertura de empresas. O tucano definiu como mote da campanha, os ?cinco Ps?: trabalho em ?primeira hora?, e não a longo prazo; ?parceria? comoinstrumento do governo; ?prioridade?, porque ?priorizar tudo não é priorizar nada?; ?planejamento? das atividades da Prefeitura; e?parcimônia?, para gastar os recursos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.