Serra chama Goldman para ''treino'' antes de assumir governo em 2010

O governador José Serra se cercou de todos os cuidados antes de decidir convidar o ex-governador Geraldo Alckmin para ocupar a Secretaria de Desenvolvimento. O primeiro passo foi, ainda em meados de dezembro, explicar a ideia ao vice-governador Alberto Goldman. Ele disse a Goldman que o queria mais entrosado com os assuntos administrativos porque deverá ser o governador a partir de abril do ano que vem.Se for candidato à Presidência, Serra terá de se desincompatibilizar em abril de 2010 e o provável governo de Goldman, de maio a dezembro, terá de ser eficaz, porque cobrirá o período da campanha eleitoral. Por isso, explicou o governador, Goldman passará a acompanhar todas as reuniões e decisões da equipe administrativa a partir de agora.O convite a Alckmin, como informou o Estado ontem, foi feito no dia 23 de dezembro, num misto de conversa política e encontro de festas de fim de ano. Alckmin pediu tempo para pensar, mas não conversou a respeito com seus aliados. Ele ainda não tinha decidido como recomeçar a carreira política e andou se insinuando como candidato ao governo estadual em 2010.Decidiu sozinho que aceitaria porque o convite o surpreendeu apenas três meses depois da acidentada disputa municipal de 2008 e abreviou o obrigatório período de carência que teria de cumprir após a derrota eleitoral na capital. Agora, na Secretaria de Desenvolvimento, tocará os projetos mais engajados no enfrentamento da crise em São Paulo, o que lhe dará grande visibilidade.Alckmin deu o "sim" na sexta-feira e recebeu um extenso relatório sobre a secretaria, preparado por Goldman, para ler no fim de semana. Os alckmistas admitem que agora Serra coordenará a própria sucessão com a vantagem de que todos os potenciais candidatos do PSDB ao governo estadual serão "de dentro do governo", o que significa que Serra terá o conforto de escolher apenas entre seus chefiados.

Carlos Marchi, O Estadao de S.Paulo

21 de janeiro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.