Serra chama Expedito de ´aloprado´ e ´delinqüente´

O governador eleito de São Paulo, José Serra (PSDB), reagiu às declarações de Expedito Veloso, chamando o ex-diretor do Banco do Brasil de "aloprado" e "delinqüente". Justificando sua decisão de não responder diretamente à declaração de Expedito, Serra afirmou: "Não vou tomar um bandido desses como interlocutor. Trata-se de um delinqüente flagrado em ato criminoso." Em depoimento à CPI dos Sanguessugas nesta quarta-feira, Expedito acusou o governador eleito de São Paulo, José Serra (PSDB), de receber dinheiro da máfia das ambulâncias, por meio de caixa dois na campanha presidencial de 2002. Expedito afirmou que teve acesso a 15 cheques, de contas do Banco do Brasil, que teriam sido destinados a pagamentos de restos de campanha do tucano naquele ano.Serra também cobrou explicações do senador Aloizio Mercadante (PT-SP), seu adversário nas eleições estaduais. Ele "deve explicações ao País sobre a origem do dinheiro" que seria utilizado por petistas para pagar o dossiê contra a candidatura tucana. A cobrança ao petista se justifica porque um dos acusados de envolvimento na tentativa de compra do dossiê é Hamilton Lacerda foi coordenador de Comunicação da campanha do petista para o governo de São Paulo, na qual o senador foi derrotado pelo tucano. Entre os outros acusados estão os petistas Gedimar Passos, Valdebran Padilha e Jorge Lorenzetti. "O próprio presidente Lula já disse que esse Expedito é aloprado", lembrou Serra. E acrescentou: "A maior contribuição é esclarecer a origem do dinheiro."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.