Serra cancela presença de última hora em inauguração por causa de protestos

Assessoria negou que manifestação tenha provocado a ausência, mas nota divulgava o contrário

Silvia Amorim, de O Estado de S.Paulo

18 de março de 2010 | 13h25

Professores realizam protesto durante inauguração de viaduto. Foto: José Luís da Conceição/AE

 

SÃO PAULO - O governador de São Paulo e virtual candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, cancelou de última hora sua participação na inauguração do segundo viaduto do Complexo Viário Jaraguá na manhã desta quinta-feira, 18, na zona norte da capital paulista. Alvo de protesto de professores em greve, o evento, que teve a presença do prefeito Gilberto Kassab (DEM), vereadores e deputados, virou palco de bate-boca entre autoridades e manifestantes.

 

A assessoria de imprensa de Serra negou que sua ausência tenha sido motivada pela manifestação. De acordo com os assessores, a presença do governador não estava confirmada. Entretanto, um aviso distribuído nesta manhã pela Secretaria de Comunicação do governo estadual à imprensa trazia o evento como o primeiro compromisso público de Serra nesta quinta-feira. Kassab saiu em defesa de Serra justificando que na noite da última quarta-feira, 17, ele já havia sido comunicado que o tucano não compareceria. 

 

Com apitos e faixas, cerca de 30 manifestantes tumultuaram a inauguração. É o segundo dia consecutivo que os professores vão a compromissos públicos do governador para protestar por reajuste salarial. Vaias e apitaços dificultaram para a plateia ouvir os discursos.

 

Um dos que enfrentou os professores de cima do palanque foi o deputado federal José Aníbal (PSDB-SP). Chamado de mentiroso, ele disse: "Mentirosa é essa quadrilha da Bancoop chefiada pelo PT. Essa gente do apito, desesperada, não tem mais argumento". O prefeito Kassab também respondeu enquanto discursava: "Palmas para os professores que estão nas salas de aula e têm espírito público".

Mais conteúdo sobre:
SerraprotestosPSDBprofessores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.