Serra: assinatura de convênios atrai prefeitos

Assinar convênios do Projeto Alvorada, que visa reduzir as desigualdades sociais no interior do Amazonas por meio de recursos federais. Esse foi o motivo para o encontro entre os ministros José Serra, da Saúde, e Arthur Virgílio Melo, da Secretaria-Geral da Presidência da República. Mas o que se viu mesmo foi um trabalho de massificação do nome de Serra entre os prefeitos do interior do Estado.Com a finalidade de assinar 69 convênios entre o governo do Amazonas e o Ministério da Saúde, todos os prefeitos dos 61 municípios do interior do Estado foram convocados para a reunião. A cerimônia ocorreu na sede do governo, com a presença dos ministros, do governador Amazonino Mendes, do presidente da Funasa, Mauro Ricardo Costa, de deputados federais da bancada governista e vários secretários de Estado.O primeiro a falar foi Arthur Virgílio, que lembrou que o Projeto Alvorada estará destinando R$ 13,2 milhões para obras de saúde e saneamento básico no interior do Amazonas. Em inflamado discurso, Arthur fez questão de ressaltar as qualidades do ministro José Serra.Em seguida, passou a enaltecer a figura do presidente Fernando Henrique Cardoso, a quem considerou o principal responsável pelo fato de o Brasil não estar com problemas devido à crise na Argentina. "Nosso Fernando (Henrique Cardoso) mostrou que é muito melhor que o Fernando (De la Rua) deles."Na sua vez de falar, José Serra mostrou estar bem afinado com Arthur Virgílio. Em vez de falar sobre política ou sucessão presidencial, preferiu apresentar índices favoráveis de melhoria de vida, elogiar o governador Amazonino Mendes, enaltecer o trabalho do presidente da Funasa, Mauro Costa, e pedir aos prefeitos maior contato com os projetos do ministério. "O Amazonas é um Estado que sabe utilizar os recursos públicos. Por isso, temos olhado com muito carinho para suas necessidades. Já conseguimos mecanismos que favorecem o desenvolvimento social no Estado", adiantou.Visita - Após a cerimônia, Serra, Arthur e Amazonino visitaram a obra de canalização de um igarapé na Zona Leste da cidade e foram, ainda, ao estaleiro Erin, onde estão sendo construídos 63 barcos a serem utilizados no Plano de Intensificação das Ações de Controle da Malária.Encerradas as visitas, a comitiva partiu para a sede da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), onde o ministro e o governador assinaram os termos de comodato para a cessão de equipamentos a oito municípios amazonenses: Macacapuru, Iranduba Itacoatiara, Presidente Figueiredo, Coari, Humaitá, Fonte Boa e Parintins.Serra embarcou para São Paulo no fim da tarde. Somente Arthur Virgílio Neto permaneceu no Amazonas. Amanhã ele seguirá para Nhamundá, a 375 quilômetros de Manaus, onde vai inaugurar um hospital, um posto médico e um ginásio coberto, construído com recursos federais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.