Serra anuncia novos alertas para maços de cigarro

Toda a face posterior das carteiras ou maços de cigarros deverá ser ocupada com foto e mensagem de advertência do Ministério da Saúde sobre os riscos do fumo para a saúde. O governo anunciou hoje oito frases, com as respectivas imagens, que terão de ser impressas, alternadamente, nas embalagens, dentro de 90 dias. Numa das laterais, deverão constar também os teores de alcatrão, nicotina e monóxido de carbono, com o alerta de que "não existem níveis seguros para o consumo destas substâncias". Empresas que descumprirem a determinação estarão sujeitas a multas entre R$ 2 mil e R$ 200 mil, e interdição. A nova investida contra o fumo e derivados do tabaco segue o exemplo do Canadá e foi aprovada no mês passado também pela União Européia, embora precise ainda ser ratificada pelos países-membros. "A medida é absolutamente legal", garantiu ontem o ministro José Serra, durante a comemoração do Dia Mundial Sem Tabaco, na Organização Pan-Americana de Saúde.A Philip Morris criticou a medida, por "tornar repulsivas as embalagens dos produtos" e "humilhar as pessoas que optam por consumir um produto legalmente fabricado". Para a Associação Brasileira da Indústria do Fumo (Abifumo), a decisão é mais um "ato benéfico" ao mercado ilegal, que responde por 35% do consumo no País. A Souza Cruz acionou seu departamento jurídico para estudar a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que regulamenta medida provisória.Serra explicou que foram escolhidas inicialmente imagens menos chocantes - até mesmo para os efeitos mais danosos, como câncer e infarto -, passíveis de troca no futuro. Das oito imagens divulgadas, a mais dramática é a de um recém-nascido fragilizado e cheio de fios, numa incubadora hospitalar. Ela ilustra a frase: "Em gestantes, o cigarro provoca partos prematuros, o nascimento de crianças com peso abaixo do normal e facilidade de contrair asma".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.