Serra adota discurso de pré-candidato à Presidência

Após passar a semana concentrado em questões relacionadas à cidade de São Paulo, o prefeito José Serra (PSDB) mudou de postura e adotou um discurso de pré-candidato à Presidência da República, na abertura da Couromoda 2006, hoje na Capital. Além de defender a criação de uma "lei de responsabilidade cambial", segundo ele para proteger a atividade produtiva em momentos de turbulência, Serra destacou que o Brasil tem condições de funcionar com uma taxa de juros menor e um câmbio mais favorável ao setor industrial. "Vocês esteja certos de que isso é possível e que isso vai ser feito em nosso País."Ao defender a criação de uma lei de responsabilidade cambial, Serra lembrou a adoção da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), elaborada na gestão do tucano Fernando Henrique Cardoso. Ele defendeu também a criação de seguros para o câmbio, de forma a proteger a atividade produtiva em momentos de crise. "Isso poderá ser feito com política, com credibilidade, com direção e com rumo. Isso é o que o Brasil precisa para o futuro."Depois da abertura do evento, perguntado sobre quem iria executar essas mudanças no País, o prefeito respondeu: "A população brasileira, através do processo eleitoral deste ano." Ele criticou os programas sociais do governo federal e insistiu que políticas compensatórias não são suficientes para solucionar as dificuldades sociais do País. "Não vamos resolver o problema social no Brasil sem emprego. Pode-se fazer qualquer política compensatória, mas sem emprego e renda para família não tem jeito". Ainda nas críticas ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Serra disse que o Brasil ingressou em uma fase de "criação destrutiva". E afirmou: "Nós comprometemos as finanças públicas e, ao mesmo tempo, geramos desemprego."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.