Serra acusa PT de fazer 'jogo sujo' na campanha

Para Serra, responsável por dossiê com dados sigilosos de tucanos é o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel

Jair Stangler/São Paulo, Estadão.com.br

31 de agosto de 2010 | 20h14

O candidato do PSDB ao governo de São Paulo, José Serra,voltou a acusar o PT de fazer 'jogo sujo' na campanha, em entrevista ao SBT Brasil nesta terça-feira, 31. O candidato afirmou que o vazamento de dados sigilosos de Eduardo Jorge ocorreu para tentar prejudicar os tucanos. Para Serra, o responsável pelo dossiê é o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel.

 

Veja também:

linkEm Cidade Tiradentes, Serra acusa PT de usar técnica do 'pega ladrão'

 

O tucano também comentou as pesquisas, que dão ampla liderança à candidata do PT. 'Se pesquisa ganhasse eleição, eu podia ter encerrado há quatro meses atrás', afirmou.

 

Serra voltou a afirmar que "o PT está sentando na cadeira antes do Lula sair. Estão discutindo se o (José) Dirceu vai ou não para o governo". Serra também disse acreditar na vitória, pois está em sua nona campanha e nunca viu "as pessoas olharem desse jeito, com essa fibra".

 

O candidato do PSDB também negou que esteja sendo escondido por aliados na campanha. "Não, não, muito pelo contrário. Eu e o Alckmin estamos na mesma batalha", disse. "Minas sabe o que parece? Que eu estou na minha rua", acrescentou.

 

Questionado sobre como pretende reverter o resultado até o momento da eleição, Serra lembrou que "Lula não vai estar no governo a partir de 1º de janeiro". "As pessoas vão procurar quem pode tocar o Brasil. Os problemas brasileiros não estão todos resolvidos. Na saúde, o Brasil andou para trás. Na segurança, o Brasil tem andado para trás. A pessoa se preocupa com o bolso, com a saúde, com a segurança, com a educação... Eu manteria a economia no bom caminho. Sou economista, tenho uma longa vivência nesse assunto", acrescentou.

 

Ele aproveitou para dar um alfinetada na candidata governista: "O chefe de imprensa dela instrui para ela falar, ela raramente diz alguma coisa espontânea, é tudo ensaiadinho."

 

Serra, que é palmeirense, também comentou a decisão da Fifa de fazer a abertura da Copa do Mundo no estádio novo do Corinthians. "O Palmeiras nunca se propôs a ter um estádio para abertura, o estádio do Palmeiras será menor que o estádio necessário para a abertura". O ex-governador e ex-prefeito de São Paulo garantiu que "toda a infraestrutura necessária, transporte, metrô estão comprometidos, é do interesse do povo de SP."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.