Serra acha Haddad agressivo, petista diz estar indignado

Na discussão sobre educação, o candidato do PT, Fernando Haddad ironizou o adversário do PSDB, José Serra, quando o tucano afirmou que iria criar centros de "treinamento e reciclagem permanente" dos professores do município. "Professor não é reciclado nem treinado. Educador é formado. Reciclagem e treinamento você usa para outras coisas. Estou te orientando para você não cometer esse deslize novamente", disse o petista, no debate da TV Globo, dizendo ainda que educação não era a área do tucano.

BEATRIZ BULLA E ELIZABETH LOPES, Agência Estado

27 de outubro de 2012 | 00h25

Na pergunta seguinte, sobre moradia, Serra afirmou que Haddad estava "muito nervoso, agressivo". "Eu acho que isso não ajuda a qualidade do nosso debate", provocou o tucano. O petista retrucou: "O que você nota de nervosismo é indignação. Eu corri a cidade inteira. Não sei se você está acompanhando o que está acontecendo na cidade de São Paulo. Talvez se você corresse mais a cidade, sua indignação seria tão grande quanto a minha".

Ainda na questão de moradia, Serra assumiu que São Paulo "é uma cidade rica, uma cidade vibrante, que tá cheia de problemas". Foi a segunda vez no debate que o tucano disse que a cidade tinha problemas a resolver.

Transportes - O tema transportes também foi discutido no debate da noite desta sexta-feira (26) pelos dois adversários que pleiteiam a Prefeitura de São Paulo. Sobre este tema, Serra questionou Haddad sobre as propostas de participação da Prefeitura em obras do metrô. O petista respondeu que irá investir no metrô, monotrilho e também nos corredores de ônibus e recuperar o processo de interligação, acusando Serra de ter abandonado essa participação. "Quero investir em metrô como a Marta quis", disse Haddad, que completou: "Mas queríamos fazer investimento mediante contrapartida", dizendo que não é possível investir dinheiro para "deixar parado".

"A companhia tem que apresentar um cronograma de obras. Se eu estou colocando dinheiro novo, tem que apresentar cronograma novo", disse o petista. E alfinetou: O que a população sabe é que talvez nossos netos vão conhecer essas obras de vocês. A cada ano eleitoral vocês anunciam novas linhas e, no ano seguinte à eleição, você dão novo prazo para entrega." De acordo com o petista, a linha 6 do Metrô foi prometida para 2012 mas "ficou para 2016 e depois para 2019".

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012SPdebateTV Globo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.