Serra aceitará linha emergencial de crédito do BNDES

São Paulo recebeu um limite máximo de empréstimos de R$ 40 milhões com favoráveis de juros e de pagamento

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

23 de abril de 2009 | 16h37

O governo de São Paulo vai aceitar a ajuda que o governo federal está dando aos Estados nesses tempos de crise. O governador José Serra (PSDB) afirmou nesta quinta-feira, 23, que vai usar a linha emergencial de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para custear investimentos. A União anunciou na semana passada um crédito de R$ 4 bilhões do BNDES, em condições favoráveis de juros e de pagamento, para ajudar os Estados a atravessar a fase mais aguda da crise. São Paulo recebeu um limite máximo de empréstimos de R$ 40 milhões.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

Questionado se recorreria ao empréstimo, o governador paulista respondeu: "Vamos, sim". Porém, ele considerou a cota pequena. "É muito pouco, 1% do total que o governo vai liberar para os Estados. Mas 40 milhões são dinheiro." O governador ainda não definiu para qual projeto destinará o recurso extra, mas já pediu aos secretários de Economia e Planejamento, Francisco Vidal Luna, e da Fazenda, Mauro Ricardo Machado Costa, um detalhamento sobre o assunto.

Tudo o que sabemos sobre:
EstadoscriseSerraSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.