TCU x Moro: senador aciona Bruno Dantas por abuso de autoridade

Senador Alessandro Vieira entrou com representação contra o ministro do Tribunal de Contas da União por 'abuso de autoridade' na investigação que atinge o ex-juiz

Davi Medeiros - O Estado de S.Paulo

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), pré-candidato à Presidência, protocolou representação contra o ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), por suposto abuso de autoridade no caso que investiga o rompimento de contrato do pré-candidato à Presidência Sérgio Moro (Podemos) com a consultoria americana Alvarez & Marsal. 

Em dezembro do ano passado, o ministro acatou um pedido do procurador Lucas Furtado para ter acesso aos documentos relativos ao encerramento do contrato, incluindo os valores envolvidos no processo de rompimento. 

O senador Alessandro Vieira deixou o Cidadania por não concordar com Roberto Freire à frente do partido. Foto: EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO

No requerimento protocolado perante a Procuradoria-Geral da República nesta terça-feira, 18, o senador aponta supostos indícios de que tanto Dantas quanto Furtado teriam deixado de observar “normas internas e pareceres técnicos do tribunal com o objetivo de explorar indevidamente o contrato firmado por Sérgio Moro com a Alvarez & Marsal”. 

Continua após a publicidade

Conforme expressado no requerimento, a auditoria do TCU indicou não haver indícios de dano ao erário ou de ato irregular que envolva a gestão de recurso público no caso. Portanto, não caberia ao tribunal "qualquer avaliação de conduta da Alvarez & Marsal", afirma Alessandro Vieira. Na avaliação do senador, o ministro Bruno Dantas deveria ter arquivado o caso sumariamente.

"Não é razoável aceitar este roteiro que passa pano para corruptos e corruptores, ao mesmo tempo em que ataca investigadores e juízes. A lei vale para todos", escreveu o senador nas redes sociais.

Como mostrou o Estadão, o Podemos de Moro abriu conversas com o Cidadania em busca da primeira aliança para o ex-juiz. A apresentação do requerimento ocorre no momento em que ambos os partidos dialogam sobre uma possível federação para ampliar recursos e tempo de TV para o presidenciável. A negociação implicaria na retirada da pré-candidatura de Vieira.

Grupos manifestam solidariedade a Bruno Dantas

O Instituto de Garantias Penais (IGP) e a Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) manifestaram solidariedade, em nota, ao ministro do Tribunal de Contas da União, Bruno Dantas. Para o IGP, é "espantoso que não se compreenda que uma investigação não serve para perseguir ou punir, mas para garantir que os investigados não sejam processados e julgados injustamente". 

A Atricon, por sua vez, diz que o estado democrático de direito "exige incondicional respeito às instituições e, por assim, aos seus membros, notadamente quando a atuação se dá de forma transparente e no contexto do devido processo legal, como ocorre no caso deflagrado no âmbito do TCU"

Encontrou algum erro? Entre em contato

TCU x Moro: senador aciona Bruno Dantas por abuso de autoridade

Senador Alessandro Vieira entrou com representação contra o ministro do Tribunal de Contas da União por 'abuso de autoridade' na investigação que atinge o ex-juiz

Davi Medeiros - O Estado de S.Paulo

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), pré-candidato à Presidência, protocolou representação contra o ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), por suposto abuso de autoridade no caso que investiga o rompimento de contrato do pré-candidato à Presidência Sérgio Moro (Podemos) com a consultoria americana Alvarez & Marsal. 

Em dezembro do ano passado, o ministro acatou um pedido do procurador Lucas Furtado para ter acesso aos documentos relativos ao encerramento do contrato, incluindo os valores envolvidos no processo de rompimento. 

O senador Alessandro Vieira deixou o Cidadania por não concordar com Roberto Freire à frente do partido. Foto: EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO

No requerimento protocolado perante a Procuradoria-Geral da República nesta terça-feira, 18, o senador aponta supostos indícios de que tanto Dantas quanto Furtado teriam deixado de observar “normas internas e pareceres técnicos do tribunal com o objetivo de explorar indevidamente o contrato firmado por Sérgio Moro com a Alvarez & Marsal”. 

Continua após a publicidade

Conforme expressado no requerimento, a auditoria do TCU indicou não haver indícios de dano ao erário ou de ato irregular que envolva a gestão de recurso público no caso. Portanto, não caberia ao tribunal "qualquer avaliação de conduta da Alvarez & Marsal", afirma Alessandro Vieira. Na avaliação do senador, o ministro Bruno Dantas deveria ter arquivado o caso sumariamente.

"Não é razoável aceitar este roteiro que passa pano para corruptos e corruptores, ao mesmo tempo em que ataca investigadores e juízes. A lei vale para todos", escreveu o senador nas redes sociais.

Como mostrou o Estadão, o Podemos de Moro abriu conversas com o Cidadania em busca da primeira aliança para o ex-juiz. A apresentação do requerimento ocorre no momento em que ambos os partidos dialogam sobre uma possível federação para ampliar recursos e tempo de TV para o presidenciável. A negociação implicaria na retirada da pré-candidatura de Vieira.

Grupos manifestam solidariedade a Bruno Dantas

O Instituto de Garantias Penais (IGP) e a Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) manifestaram solidariedade, em nota, ao ministro do Tribunal de Contas da União, Bruno Dantas. Para o IGP, é "espantoso que não se compreenda que uma investigação não serve para perseguir ou punir, mas para garantir que os investigados não sejam processados e julgados injustamente". 

A Atricon, por sua vez, diz que o estado democrático de direito "exige incondicional respeito às instituições e, por assim, aos seus membros, notadamente quando a atuação se dá de forma transparente e no contexto do devido processo legal, como ocorre no caso deflagrado no âmbito do TCU"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Atualizamos nossa política de cookies

Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.