Sérgio Guerra rebate críticas de Sarney ao 'Estadão'

Presidente do PSDB diz que, se a população cobra, presidente do Senado deve se explicar

Carol Pires, da Agência Estado,

18 de agosto de 2009 | 18h40

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), subiu à tribuna na tarde desta terça-feira, 18, para rebater as críticas feitas na segunda-feira pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), a reportagem publicada pelo Estado sobre irregularidades na aquisição de imóveis em São Paulo pela família Sarney.

 

Veja Também

linkEmpreiteira admite ter comprado apartamento usado por Sarney

Sérgio Guerra disse que a população cobra explicações aos parlamentares na rua sobre a crise política que assola o Senado, e que José Sarney deveria explicar as denúncias que pesam contra ele.

 

"Tudo que acontecer comigo, com o Arthur, com o José Sarney, com o Senador Jarbas Vasconcelos é questão pública, nós temos de esclarecê-las. Se vamos cassar alguém, é claro que não; se vamos discutir esses fatos, é claro que sim. Se os fatos são fracos, eles vão ceder; se não se sustentam, se não têm conteúdo, eles não aguentam. Se eles têm realidade, verdade, eles vão surgir e vão se consolidar. Essa é a lição da democracia, dos Parlamentos", disse Guerra.

 

O tucano também criticou a postura dos senadores da base aliada que trabalham como "tropa de choque" do senador José Sarney. "Agora, eu não aceito, eu não admito, não admito de forma alguma é o expediente de transformar Senado, democracia, Senado, parlamento, num quadro em que pessoas, a pretexto da discordância, promovam a revanche, promovam a ameaça, promovam a distribuição fortuita de notas e informações fraudulentas para ameaçar quem quer que seja", disse.

 

Na segunda-feira, em plenário, Sarney negou que sua família tenha cometido irregularidades na ocupação dos imóveis, garantiu que seu filho, o deputado Sarney Filho (PV-MA), declarou os apartamentos na declaração de rendimentos à Receita Federal, e disse que o jornal comete "práticas nazistas" ao publicar reportagens desfavoráveis a ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.