Sérgio Guerra cobra novamente explicações de Dilma sobre dossiê

Senador afirmou ainda que esse tipo de ação 'é vergonhosa, indecente e coisa de gente safada'

Ana Paula Scinocca / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2010 | 12h49

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), cobrou novamente nesta quarta-feira, 2, uma explicação da pré-candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff, sobre a confecção de um suposto dossiê que atingiria o pré-candidato tucano José Serra. "O PT introduziu o crime na campanha. Já fizeram o dossiê dos aloprados em 2006, um dossiê contra Ruth Cardoso (ex-primeira-dama) e agora vem mais um. E a Dona Dilma? Ela tem que se pronunciar. Não pode ficar fazendo cara de paisagem", disse.

 

Veja também:

https://politica.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Responsabilidade por suposto dossiê é da Dilma, diz Serra

https://politica.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Tucano cobra Dilma por 'equipe de arapongas'

 

Sérgio Guerra, que também é coordenador político da campanha de Serra, afirmou ainda que esse tipo de ação, além de ser ilegal, "é vergonhosa, indecente e coisa de gente safada". As declarações foram feitas há pouco em Brasília, depois de reunião com a bancada tucana na sede do PSDB para definir mobilização para a convenção do partido, marcada para o próximo dia 12, em Salvador.

 

Reportagem publicada na última edição da revista Veja conta que um grupo dentro da campanha da petista teria ensaiado a produção de um dossiê para atingir José Serra.

Tudo o que sabemos sobre:
Sergio GuerraDilma RousseffJose Serra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.