'Ser réu não é ser culpado', diz indicado para a CCJ

Nome do deputado é fruto de um acordo entre as várias tendências do PT para a divisão dos cargos na Casa

Eduardo Bresciani, do estadão.com.br,

16 de fevereiro de 2011 | 19h41

BRASÍLIA - Indicado pelo PT para ocupar a presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o deputado João Paulo Cunha (SP) minimizou a possibilidade de constrangimentos na função por ser réu no processo do mensalão.

 

"Ser réu não significa ser culpado. Eu confio na justiça, estou seguro da minha inocência e enfrento este debate de peito aberto", disse o deputado.

 

A indicação de João Paulo foi anunciada pelo líder do PT, Paulo Teixeira (SP). O nome é fruto de um acordo entre as várias tendências do PT para a divisão dos cargos na Casa. Ricardo Berzoini (SP) também pleiteava o comando da CCJ e com a composição ficará com a função em 2012.

 

João Paulo não quer ainda fazer planos para a CCJ porque precisa ainda ser eleito para o cargo pelo plenário da comissão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.