Sequestrador já foi do MST, diz entidade

No Pará, a coordenação do Movimento dos Sem-Terra admitiu ontem que Wagner Cruz, preso na semana passada em Parauapebas, acusado de ter participado de um sequestro, já fez parte do movimento. Ele foi expulso no ano passado, após a descoberta de que se tratava de um agente "infiltrado". Segundo o MST, sua tarefa era criar "confusão" no meio dos movimentos sociais. A prisão dele, pela PM, em maio de 2008, durante a invasão de um sindicato, foi "por engano", conforme o MST.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.