Sentença favorece portadores de HIV

O juiz Washington Juarez de Brito Filho, da 24.ª Vara Federal, determinou, em sentença de 6 de fevereiro, que as três Forças Armadas não façam mais exames periódicos obrigatórios para detecção do vírus HIV em militares da ativa e não reformem compulsoriamente os militares portadores doença que não apresentem sintomas.De acordo com a medida, Exército, Marinha e Aeronáutica terão de reintegrar aos quadros da ativa, "com todas as promoções cabíveis em razão do decurso do tempo em que estiveram afastados", os militares assintomáticos afastados por serem portadores do vírus. Para obter a reintegração, o servidor militar não pode ter manifestado sintomas.O juiz não proibiu o exame em candidatos ao serviço militar. A ação foi impetrada pelo Ministério Público Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.