Agência Senado
Agência Senado

Senadores tentam convencer Simone Tebet a mudar de partido para apoiá-la

Em reunião, candidatos à Presidência da Casa sinalizam que podem abrir mão da disputa caso senadora saia do MDB

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2019 | 15h40

BRASÍLIA - Candidatos à Presidência do Senado sinalizaram, nesta quinta-feira, que podem abrir mão da disputa para apoiar a senadora Simone Tebet (MDB-MS), caso ela aceite mudar de partido. A proposta foi um dos assuntos discutidos numa reunião realizada, num hotel em Brasília, por sete senadores que tem intenção de disputar o comando da Casa.

O convite partiu, principalmente, do Podemos. O senador Alvaro Dias (Pode-PR) ofereceu a filiação para a emedebista, que ficou de analisar a proposta. Como argumento, ela recebeu indicação de um possível apoio por parte do PSDB, de Tasso Jereissati (CE), PP, de Esperidião Amin (SC), e do PSL, de Major Olímpio (SP).

Apesar de ter ficado de analisar, aliados de Simone veem desconfiança o convite por acreditarem que o Podemos não tem "tamanho suficiente" para bancar uma candidatura deste tipo, já que o partido tem apenas cinco senadores. Isso poderia gerar desconfiança na conquista de outras bancadas.

Ao todo, participaram da reunião Dias, Amin, Major Olímpio, Tasso, Ângelo Coronel (PSD-BA), Davi Alcolumbre (DEM-AP), e a própria senadora. Nenhum deles aceitou abrir mão da disputa por enquanto.

Os únicos dois nomes que não ficaram de rever suas intenções para o pleito foram Ângelo Coronel e Davi, que tem o apoio do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS). No encontro, o democrata também foi bastante pressionado a abdicar da candidatura para ter segurança de que presidir as sessões preparatórias e, assim, poder deliberar sobre questões de ordem. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.