Agência Senado
Agência Senado

Senadores tentam convencer Simone Tebet a mudar de partido para apoiá-la

Em reunião, candidatos à Presidência da Casa sinalizam que podem abrir mão da disputa caso senadora saia do MDB

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2019 | 15h40

BRASÍLIA - Candidatos à Presidência do Senado sinalizaram, nesta quinta-feira, que podem abrir mão da disputa para apoiar a senadora Simone Tebet (MDB-MS), caso ela aceite mudar de partido. A proposta foi um dos assuntos discutidos numa reunião realizada, num hotel em Brasília, por sete senadores que tem intenção de disputar o comando da Casa.

O convite partiu, principalmente, do Podemos. O senador Alvaro Dias (Pode-PR) ofereceu a filiação para a emedebista, que ficou de analisar a proposta. Como argumento, ela recebeu indicação de um possível apoio por parte do PSDB, de Tasso Jereissati (CE), PP, de Esperidião Amin (SC), e do PSL, de Major Olímpio (SP).

Apesar de ter ficado de analisar, aliados de Simone veem desconfiança o convite por acreditarem que o Podemos não tem "tamanho suficiente" para bancar uma candidatura deste tipo, já que o partido tem apenas cinco senadores. Isso poderia gerar desconfiança na conquista de outras bancadas.

Ao todo, participaram da reunião Dias, Amin, Major Olímpio, Tasso, Ângelo Coronel (PSD-BA), Davi Alcolumbre (DEM-AP), e a própria senadora. Nenhum deles aceitou abrir mão da disputa por enquanto.

Os únicos dois nomes que não ficaram de rever suas intenções para o pleito foram Ângelo Coronel e Davi, que tem o apoio do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS). No encontro, o democrata também foi bastante pressionado a abdicar da candidatura para ter segurança de que presidir as sessões preparatórias e, assim, poder deliberar sobre questões de ordem. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.