Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Senadores têm lista com maioria de assinaturas a favor do voto aberto em eleição

Medida é tida como prejudicial à candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL), que tenta voltar ao comando da Casa

Renan Truffi, Felipe Frazão e Gregory Prudenciano, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2019 | 14h07

O senador Eduardo Girão (PROS-CE) conseguiu uma maioria de 41 assinaturas de parlamentares a favor de que a eleição ocorra com voto aberto no Senado Federal. O objetivo é apresentar um requerimento para que a questão seja avaliada logo no início da sessão que vai eleger o novo presidente da Casa.

Com as assinaturas e o auxílio do presidente em exercício do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que deve facilitar a discussão em torno deste assunto, os senadores esperam que os parlamentares que endossaram o documento se sintam obrigados a repetir o posicionamento no painel da Casa. Para aprovar o voto aberto para esta eleição são necessários os 41 votos, ou seja, a maioria do Senado.

A eleição com voto aberto é tida como uma das principais barreiras do senador Renan Calheiros (MDB-AL), que tenta voltar ao comando da Casa pela quinta vez em sua carreira política

Senadores usam Twitter para pedir voto aberto

Uma campanha pelo voto aberto para a presidência do Senado tem sido levada adiante por senadores que se opõem à candidatura de Renan. "[...] acredito que esta Casa precisa ter compromisso com a democracia e a transparência. Por isso, defendo o voto aberto!", escreveu em seu Twitter a senadora Mailza Gomes (PP-AC).

Outros parlamentares têm feito campanha contrária ao sigilo do voto. Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Alvaro Dias (Pode-PR), Dario Berger (MDB-SC), Eduardo Girão (PROS-CE) e Major Olímpio (PSL-SP), por exemplo, estão engajados na campanha que une parlamentares de posições ideológicas distintas. A bancada tucana decidiu nesta quinta-feira, 31, fazer a defesa pública do voto aberto.

Para além do parlamento, a hashtag #VotoAbertoSimRenanNão se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter brasileiro, com amplo apoio de eleitores do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e de movimentos como o MBL e o Vem Pra Rua. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.