Senadores querem votar reajuste do Judiciário nesta quarta-feira

Romero Jucá (PMDB-RR) opera para antecipar audiência com ministro do Planejamento e poder incluir projeto na pauta do plenário

ISABELA BONFIM, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2016 | 23h34

BRASÍLIA - Coordenados por Romero Jucá (PMDB-RR), senadores operaram na noite desta terça-feira, 28, para acelerar a votação do projeto que reajuste a remuneração de servidores do Judiciário. O projeto pode ser votado já nessa quarta-feira (29).

Mais cedo, ao aprovar a proposta de reajuste salarial do Judiciário, os senadores da Comissão de Assuntes Econômicos fecharam um acordo para que o projeto não fosse apreciado pelo plenário antes da realização de um audiência pública, para esclarecer o impacto dos reajustes do funcionalismo público nas contas públicas.

A audiência ficou agendada para a próxima quarta-feira, 6, o que seguraria a votação do reajuste em pelo menos uma semana. Entretanto, Jucá, que é ex-ministro do Planejamento, comprometeu-se em trazer seu sucessor, Dyogo Oliveira, ainda nesta quarta-feira à CAE para realizar a audiência e, em seguida, incluir o projeto na pauta do plenário.

O reajuste do Judiciário é um dos mais dispendiosos para as contas públicas. Além do impacto previsto em R$ 1,9 bilhão só em 2016, os aumentos devem custar R$ 8,4 bilhões até 2019.

O projeto estabelece reajuste de aproximadamente 41,47% para os servidores do Judiciário da União. O aumento será dado, de forma escalonada, em oito parcelas, de junho de 2016 a julho de 2019. A gratificação judiciária, hoje correspondente a 90% do vencimento básico, chegará gradualmente a 140%, em janeiro de 2019.

O projeto também concede, a partir de janeiro de 2016, reajuste de até 25% para os cargos em comissão, mesmo percentual usado para comissões do Executivo.

Além disso, pela proposta, técnicos judiciários com curso superior receberão adicional de qualificação. Atualmente, a Lei 11.416/2006, que trata das carreiras dos servidores do Poder Judiciário da União, garante esse adicional só para servidores com mestrado, doutorado ou especialização.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.