Senadores prometem não dar trégua a Renan e pedem transparência

Senadores da oposição e algunsintegrantes da base aliada ao governo definiram nestaquinta-feira uma pauta comum para aumentar a transparência nasvotações da Casa e concordaram em só votar questões essenciaisaté que o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) se afaste docargo. O grupo definiu três pontos essenciais: pressionar paravotar na terça-feira mudança no regimento interno tornandoabertas todas as sessões de cassação de mandato; obrigar oafastamento da presidência, da Mesa Diretora e da presidênciade comissões todo senador que tiver representação acatada peloConselho de Ética e acelerar a tramitação da Proposta de EmendaConstitucional (PEC) que acaba com o voto secreto. Além dos senadores do DEM e do PSDB, estiveram presentes àreunião Cristovam Buarque (PDT-DF), Patricia Saboya (PSB-CE),Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e José Nery (PSOL-PA). "Cabe a nós reagirmos com toda a veemência. Se não dercerto, o futuro do Senado está em jogo", disse Tasso Jereissati(PSDB-CE) sobre as medidas acertadas pelo grupo. Os senadores prometem não dar tréguas a Renan e não votarmatérias de interesse do governo que não considerem essenciaispara o país, entre elas a prorrogação da CPMF. "Não há de nossa parte nenhum tipo de revanchismo. Osenador Renan não ganhou porque não reúne condições degovernabilidade. Quem ganhou foi a crise que permaneceinstalada no Senado", afirmou o líder do PSDB, Artur Virgílio(AM).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.