Senadores faltam para impedir convocação de Erenice

Senadores aliados do governo boicotaram hoje a reunião da Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) para impedir a votação de um requerimento convocando para depor a ex-ministra da Casa Civil da Presidência da República Erenice Guerra. O presidente da CCJ, Demóstenes Torres (DEM-GO), lamentou a ausência de colegas que estavam na Casa, mas não foram à comissão.

ROSA COSTA, Agência Estado

06 de outubro de 2010 | 19h43

O petista Eduardo Suplicy (SP) admitiu que partiu da Casa Civil a orientação para impedir a realização da reunião. Em vez de apontar o responsável pela ordem, Suplicy fez o contrário, limitando-se a dizer que não foi o ministro-chefe da pasta, Alexandre Padilha. O senador disse que não vê problemas em ter na CCJ tanto a ex-ministra e atual candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, como a sua substituta na Casa Civil, Erenice Guerra, desde que elas sejam convidadas e não convocadas.

O requerimento do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) pede a presença de Erenice Guerra para que ela fale sobre as denúncias de tráfico de influência no governo e a participação no esquema de seus filhos e de outros membros da família.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.