Senadores exaltam namorada de Suplicy

A namorada do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), a jornalista Mônica Dallari, foi homenageada no plenário nos poucos minutos em que ali esteve na companhia de artistas agraciados com a Ordem do Mérito Cultural 2004. "Posso dizer que você destravou o nosso colega", afirmou o senador Heráclito Fortes (PFL-PI). "Se ele tivesse lhe conhecido antes, seria uma artista consagrado". Os senadores Pedro Simon (PMDB-RS) e Heloisa Helena (Psol-AL) afirmaram que estão "felizes" com a felicidade do colega.Mônica defendeu Suplicy das acusações de petistas de ser um dos responsáveis pela derrota da ex-mulher Marta na eleição em São Paulo. No meio da algazarra com a presença dos artistas, a senadora Heloísa Helena (PSol-AL) apanhou o microfone e disse que irá para o céu quando morrer. Mas seu colega Aloizio Mercadante (PT-SP), segundo ela, vai virar churrasco do diabo. Heloisa afirmou ainda que não iria comparar o Senado a um circo porque respeita muito o circo.O diretor José Celso Martinez deu um susto no senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS) que presidia a sessão, quando gritou bem alto: "merda". Em seguida, antes de o parlamentar pedir explicações por uma eventual falta de decoro, disse que estava ali fazendo uma saudação. "Merda é uma palavra mágica no teatro", explicou. Em seguida, Suplicy e os atores foram cumprimentar o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) no seu gabinete. No caminho, Suplicy se desentendeu com um balde de limpeza que estava no corredor (veja as fotos). A trupe começou a romaria no Senado visitando o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). O senador os cumprimentou pela contribuição que prestam à cultura do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.