Senadores do PTcriticam violação de sigilo de caseiro

Parlamentares petistas criticaram a violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo Santos Costa, com a divulgação de extratos de sua conta na Caixa Econômica Federal, obtidos sem autorização legal. Autor do pedido de liminar ao Supremo Tribunal Federal (STF) para impedir a CPI dos Bingos de ouvir o caseiro, o vice presidente do Senado, Tião Viana (PT-AC), condenou o procedimento.Os extratos revelaram depósitos de R$ 25 mil em sua conta desde o início do ano. Os depósitos foram feitos pelo empresário piauiense Eurípedes Soares, que seria pai biológico, não reconhecido, do caseiro.Mesmo afirmando que continua duvidando da veracidade das afirmações de Francenildo, feitas em entrevista ao Estado e confirmadas em depoimento à CPI dos Bingos, Tião Viana disse que isso não muda sua atitude de se opor a tudo o que for feito contra a lei. "Nada do que for feito à revelia da legalidade eu vou aprovar", alegou. "Isso tem de ser apurado para pegar o criminoso que fez isso"."Agora, eu não concordo de ser errado quando atinge o caseiro e certo quanto atinge Okamotto", afirmou, referindo-se ao pedido de quebra de sigilos do presidente do Sebrae, Paulo Okamotto, ex-tesoureiro do PT e amigo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.A oposição quer abrir os sigilos de Okamotto, atrás de explicações para o fato de ele ter pago dívidas de Lula, além de ter feito doações para petistas. O Supremo Tribunal Federal, entretanto, deu liminar proibindo a quebra de seus sigilos. O senador petista Eduardo Suplicy (SP) classificou de "sério" o vazamento. "Eu acho sério e precisa ser desvendado em respeito a pessoa do Francenildo. Nós do PT sempre fomos a favor da transparência", disse o senador, que fez questão, de afirmar que em todas as vezes esteve com Palocci o ministro sempre se procedeu com correção e respeito às questões de interesse público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.