Senadores dizem que ACM deveria ter agido

Senadores do PMDB e PPS que assistiram ao depoimento do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) consideraram grave o fato de o ex-presidente não ter tomado providências legais quando soube da existência da lista de votação da sessão que cassou o mandato do ex-senador Luís Estevão. "A pior contradição é que ele não deu a ordem, mas o serviço foi feito e ele não tomou medidas para punir os responsáveis. Não existem razões de Estado que justifiquem essa omissão de ACM", disse o líder do PPS, senador Paulo Hartung (ES). Na avaliação do senador Gerson Camata (PMDB-ES), ainda há dúvidas sobre se ACM deu, ou não, ordem para que o painel fosse violado. Mas ele também concorda com Hartung, ao afirmar que, tendo conhecimento da violação, ele deveria ter punido a ex-diretora do Prodasen, Regina Célia Borges, e levado o senador José Roberto Arruda (sem partido-DF, então no PSDB) ao Conselho de Ética. Já os senadores Casildo Maldaner (PMDB-SC) e Ney Suassuna (PMDB-PB) apontaram muitas incoerências que, para serem esclarecidas, requerem uma acareação entre os dois senadores, Arruda e ACM.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.