Senadores discutem viagem de comissão à Venezuela

Com quase uma hora de atraso, a reunião da Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado na qual será votado o protocolo de adesão da Venezuela no Mercosul começou com os senadores discutindo a aprovação ou não de um requerimento do senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) que propõe a viagem de uma comissão de parlamentares ao país vizinho. O convite foi proposto pelo prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, um dos principais opositores do presidente Hugo Chávez, que participou de audiência pública na CRE na terça-feira.

CAROL PIRES, Agencia Estado

29 Outubro 2009 | 11h36

O líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), orientou a base aliada a votar contra o requerimento. Na avaliação dele, o parlamento brasileiro não deve "se intrometer" na política interna venezuelana. "Essa discussão deve se tratar não por fatos políticos exógenos. Não estamos discutindo política interna da Venezuela", disse o líder. Em contrapartida, Cavalcanti recebe o apoio de senadores da oposição que defendem a viagem, que, segundo o senador petebista, poderia ser feita durante o intervalo entre a votação do protocolo hoje na CRE e a votação em plenário.

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) é relator da matéria e produziu voto contrário à adesão da Venezuela no bloco. Porém, deve ser aprovado hoje voto em separado de Jucá favorável à inclusão da Venezuela, com a assinatura de apoio de 13 integrantes da comissão, oito deles titulares. A oposição deve ter, no máximo, seis votos do PSDB e do DEM.

Mais conteúdo sobre:
MercosulSenadoVenezuelaviagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.