Senadores de DF são ´campeões´ em renúncia e cassação

Nos seus 21 anos de representação no Senado, o Distrito Federal já é o campeão de mandatos atingidos por cassação ou renúncia. Dos cinco senadores que perderam suas cadeiras no Legislativo nos últimos sete anos, três foram eleitos em Brasília. É da capital federal o primeiro e único senador cassado na história da República: o empresário Luiz Estevão, que perdeu o mandato em 2000 por ter sido envolvido no escândalo do superfaturamento das obras do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) paulista.Um ano depois, José Roberto Arruda renunciou por conta da violação do painel eletrônico do Senado. Esta semana, Joaquim Roriz repetiu o gesto. E, antes mesmo de assumir a vaga, seu suplente Gim Argello (PTB) já é alvo de denúncias de corrupção.Estes personagens são oriundos do mesmo grupo político que se consolidou no poder a partir dos anos 90, depois que o Distrito Federal ganhou autonomia política. A incidência de casos de irregularidades põe a qualidade da política em xeque e cria embaraços. "Os políticos precisam entender que política não é ganhar dinheiro. Esta situação está criando constrangimentos à capital federal", observou o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que faz oposição ao núcleo que dominou a política local sob a liderança de Roriz. Com exceção de Arruda, atual governador do DF pelo Democratas, os ex-senadores Luiz Estevão e Joaquim Roriz perderam o mandato por conta de negócios ilícitos e transações financeiras. Arruda já foi aliado de Roriz, mas ficaram em campos opostos nas eleições passadas quando o ex-governador apoiou o PSDB. Envolvido no escândalo de desvio de recursos públicos para as obras de construção do fórum trabalhista de São Paulo, o peemedebista Luis Estevão teve seu mandato cassado pelo plenário do Senado, após ser julgado pelo Conselho de Ética. O líder do PMDB na época era o atual presidente da Casa, Renan Calheiros (AL), que agora está sendo investigado. Empresário conhecido em Brasília, Luis Estevão perdeu os direitos políticos. Já Joaquim Roriz, para escapar da cassação e não perder os direitos políticos, optou pela renúncia do mandato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.