Senadores contratarão mais assessores

A mesa diretora do Senado aprovou a contratação de três novos secretários parlamentares para o gabinete de cada um dos 81 senadores. Com a contratação dos 243 servidores, o Senado irá gastar R$ 950.130,00 mensais. Cada secretário terá salário de R$ 3.910,00 por mês. Mas, segundo, o primeiro-secretário do Senado, Carlos Wilson (PPS-PE), não haverá aumento de gastos na folha de pagamento, porque foram extintos 240 cargos em comissão. Nada impede que os senadores contratem, para esses cargos, parentes ou cabos eleitorais para trabalhar nas eleições do ano que vem. Apesar dos 240 cargos extintos estarem vagos, Carlos Wilson argumentou que não há acréscimo de despesas, porque os gastos com essas funções estavam previstos no Orçamento do Senado. "Não se trata de aumento de salário para senador e sim uma ajuda para que o senador tenha uma estrutura de trabalho melhor", ressaltou Carlos Wilson. E rebateu as críticas de que os senadores venham a contratar parentes e cabos eleitorais nos cargos de secretário parlamentar. "Se isso ocorrer, cabe a vocês (imprensa) denunciar", disse. A reivindicação dos senadores para aumentar a estrutura de seus gabinetes foi antecipada no início desta semana pelo Estado. A contratação dos novos funcionários, que poderão trabalhar nos Estados dos senadores, está autorizada a partir de amanhã.A pressão dos senadores para ganhar o benefício cresceu depois que o presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), cumpriu uma das suas promessas de campanha e deu o reajuste de R$ 12 mil na verba de gabinete dos 513 deputados. Desde abril, dois meses depois de assumir a presidência, Aécio aumentou a verba de gabinete dos deputados de R$ 20 mil para R$ 32 mil mensais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.