Senadores cobram indignação de ACM

Assim como o relator do Conselho de Ética do Senado, Roberto Saturnino Braga (PSB-RJ), o senador Jefferson Peres (PDT-AM) estranhou o fato de o ex-presidente do Senado, Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), não ter repreendido o ex-líder do governo José Roberto Arruda (sem partido-DF) quando este lhe entregou a lista com os votos dados pelos senadores na sessão em que foi cassado o mandato do ex-senador Luiz Estevão (PMDB-DF). Peres chegou a questionar se não teria cabido a ACM "verberar com Arruda sobre irresponsabilidade do ato cometido". ACM simplesmente respondeu que não o fez. "Se errei, errei para evitar mal maior para o Senado. Talvez tivesse feito isso, e fosse mais certo, as conseqüências seriam mais sérias, depois", afirmou ACM, insistindo em sua linha de defesa, de que a revelação da existência da lista poderia comprometer a sessão em que foi cassado o mandato de Luiz Estevão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.