Senadores brasileiros ouvem depoimentos de vítimas de confrontos na Venezuela

Comitiva também deve se encontrar com as esposas de políticos opositores a Maduro

ERICH DECAT, ENVIADO ESPECIAL, Estadão Conteúdo

25 de junho de 2015 | 13h13

Caracas - O grupo de senadores brasileiros integrado por PT, PCdoB, PDT e PMDB, se reuniu na manhã desta quinta, 25, em Caracas, com representantes do Comitê das Vítimas da Guarimba. No encontro, que contou com três membros do comitê, foram lembrados episódios de confrontos ocorridos após as eleições presidenciais realizadas em abril de 2013 na Venezuela, em que Nicolás Maduro venceu Henrique Capriles por apenas 1,5% dos votos.

Entre os depoimentos ocorridos na reunião, estava o da Tenente Velasquez, que informou aos senadores ter perdido o marido em uma das ações contra militantes opositores ao governo de Maduro. Segundo ela, no meio de uma das manifestações, realizadas no início de 2014, o marido - ao tentar ajudar um colega ferido na perna - foi surpreendido com um tiro pelas costas e acabou falecendo.

No encontro, realizado em um dos auditórios do hotel em que se hospedaram os senadores, também foi transmitido um vídeo com a cronologia dos embates pós eleições presidenciais e depoimentos de outras vítimas. "Esses episódios mostram que as manifestações não eram pacíficas", ressaltou Velasquez. "Nenhuma violência é boa para qualquer um dos lados. O que rechaçamos é sermos chamados para a violência", emendou Desirré Cabrarera, integrante do comitê presente à reunião.

Após a reunião, a comitiva de senadores seguiu para a sede do Partido Vontade Popular, onde deve se encontrar com as esposas de políticos opositores a Maduro. Segundo o senador Lindbergh Faria (PT-RJ), também foi confirmado encontro da comitiva com Henrique Capriles, previsto para o início desta tarde. Na agenda dos parlamentares brasileiros, ainda há encontro com o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, deputado Diosdado Cabello.

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoresComitivaVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.