Roque de Sá/Ag. Senado
Roque de Sá/Ag. Senado

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) assume presidência da CCJ na Casa

Tebet assumiu com a promessa de votar projetos 'urgentes' para o País, como a reforma da Previdência

Renan Truffi e Teo Cury, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2019 | 17h39

BRASÍLIA - A senadora Simone Tebet (MDB-MS) assumiu oficialmente, nesta quarta-feira, 13, o cargo de presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, considerado um dos colegiados mais importantes da Casa. Ao assumir, ela afirmou que vai dar prioridade aos projetos considerados "urgentes" para o País, como a reforma da Previdência.

"A CCJ sempre foi a comissão que representa o coração do Senado. Mais do que nunca, diante de um novo governo, diante de série de pautas prioritárias para o País, querendo ou não, votando a favor ou não, vamos votar todos os projetos relevantes vindos do Executivo ou de qualquer senador. Qualquer projeto que venha terá prioridade naquilo que for considerado urgente para País", afirmou.

Numa sinalização aos colegas de Casa, tanto da oposição como de partidos que não estão na base do governo, a emedebista prometeu que irá conduzir a comissão com imparcialidade". "O presidente de uma comissão tem que ser um mero gerente e é isso que eu quero ser. Vou tratar todos de forma igualitária, independentemente da posição ideológica", disse. 

Além da CCJ, o MDB garantiu a presidência da Comissão Mista de Orçamento e a Comissão de Educação, sendo o partido com o comando do maior número de colegiados na Casa. Tebet ganhou notoriedade ao tentar lançar candidatura para a presidência do Senado pelo partido como oposição ao senador Renan Calheiros (AL), que por fim foi o escolhido do MDB. A vitória foi concedida a Davi Alcolumbre (DEM-AP). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.