Marcos Oliveira|Agência Senado
Marcos Oliveira|Agência Senado

Senadora Rose de Freitas renuncia à vaga na Comissão do Impeachment

A líder do governo no Congresso, favorável ao afastamento definitivo da presidente Dilma Rousseff, indicará o senador Magno Malta (PR-ES), que ocupa vaga de suplente no colegiado, para substituí-la

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2016 | 18h35

BRASÍLIA - Depois de reiterar posição favorável ao impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, a líder do governo no Congresso, senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), renunciou nesta quinta-feira, 23, à vaga de membro titular na Comissão Especial. O anúncio foi feito durante sessão no plenário da Casa. A congressista indicará o senador Magno Malta (PR-ES), que ocupa vaga de suplente no colegiado, para substituí-la.

Eleita líder do governo no Congresso pelo presidente em exercício Michel Temer na última terça-feira, 21, a parlamentar justificou haver incompatibilidade com o cargo que passou a ocupar. Segundo ela, a escolha de Malta foi sua, e contou com o apoio do líder do PMDB na Casa, senador Eunício Oliveira (CE). A decisão ainda precisará ser referendada pelo plenário da comissão. "Ele é muito atuante e muito presente na comissão", justificou Rose.

Com o voto de Rose, que já havia votado pela continuidade do impeachment na primeira fase do processo, o levantamento realizado pelo Grupo Estado mostra nesta quinta-feira que os votos a favor da saída de Dilma no Senado estão em 38 e os votos contra permanecem em 18. Há ainda 6 parlamentares indecisos e o número dos que não quiseram responder está em 19. Rose não tinha se manifestado anteriormente sobre o placar porque estava de licença médica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.