Senador que ampliar para R$ 4 bilhões ajuda à mídia

Membro da subcomissão da Comissão de Educação encarregada de avaliar a proposta de empréstimo do BNDES para as empresas de comunicação, o senador Hélio Costa (PMDB-MG) vai propor que os recursos sejam de R$ 4 bilhões e não de R$ 2 bilhões, como sugeriu o presidente da banco, Carlos Lessa.O senador também defende outros critérios para o pagamento desse financiamento. Segundo ele, as condições da proposta feita pelo banco, de fixar o prazo de pagamento em 60 meses, com juros de 5% ao ano mais TJLP, não é satisfatória, principalmente se comparada a outra operações feitas pelo próprio BNDES. ?Não é uma proposta boa e suas condições pouco diferem das que são oferecidas por bancos particulares?, disse. ?E todos nós sabemos que o BNDES trabalha em proporções bem melhores, com juros menores?.O senador acredita que diante de uma proposta ?razoável?, os grupos representados pela Associação Nacional de Jornais (ANJ), Associação Nacional de Editoras de Revistas (Aner) e Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) devem rever a decisão de desistir de prosseguir no exame desse programa.O presidente da ANJ, Francisco Mesquita Neto, informa que os motivos da desistência estão na carta que enviaram a Lessa na semana passada. ?O banco levou muito tempo para apresentar uma proposta e quando o fez o teor mantém as empresas do setor em condições desfavoráveis quanto a prazo e limitação de recursos para a carteira?, justifica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.