Senador Pedro Taques admite derrota 'certeira'

O senador Pedro Taques (PDT-MT) subiu à tribuna do plenário da Casa com a certeza de que será derrotado na eleição para a Presidência do Senado. "Sei que a nossa derrota é certeira, transparente, inevitável, aritmética", afirmou no início da tarde desta sexta-feira. No discurso, citou figuras históricas, como Tiradentes, para afirmar o orgulho que sente por sua "corajosa" candidatura. "Tantas vezes é entre os derrotados, os que não conseguiram, que o espírito humano ressurge."

DÉBORA ÁLVARES E RICARDO BRITO, Agência Estado

01 de fevereiro de 2013 | 13h42

Taques defendeu uma nova forma de fazer política, sem se espelhar no passado. "Chega de Senado perdigueiro, do Senado sabujo. Somos senadores da República, não leva e traz do Executivo. Anticandidato-me à Presidência desta casa para combater o mal vezo do Poder Executivo de despejar suas medidas provisórias, ainda que fora de situações de urgência e relevância, em continuado desprestígio de nossas prerrogativas legislativas."

O senador citou os partidos que lhe declararam apoio, bem como as assinaturas de uma petição online contra a candidatura do adversário, Renan Calheiros (PMDB-AL). "Essa não é mais a candidatura de Pedro Taques, e sim do PDT, do PSOL, do PSB, do DEM, do PSDB e de corajosos senadores de outras legendas, que não se submetem. Essa é a candidatura daqueles que nunca tiveram voz nesta Casa, é dos mais de 300 mil brasileiros que assinaram a petição online "Ficha Limpa no Senado, Renan não".

Ele destacou algumas de suas intenções como presidente, questionando o comportamento de Renan Calheiros, a quem se dirige, a todo momento, como "vencedor". "Eu, anunciado perdedor, comprometo-me diante dos meus pares contra medidas provisórias. Será que o anunciado vencedor poderá fazer idêntica promessa? Vou criar uma agenda pública e transparente. Como farão os vencedores?", questionou.

Pedro Taques finalizou seu discurso de candidato afirmando a determinação de se manter esperançoso. "Nas andanças do tempo, vencedores podem ser efêmeros; mas os derrotados de um dia vencem no outro. Maiorias se tornam minorias. Mas a dignidade, senhores, jamais esmorece."

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoeleiçãoTaques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.