Senador pede que PF investigue relação de assessor com Cachoeira

Assessor Brito Souza foi flagrado conversando com Marcelo Queiroga, que atuava no grupo do contraventor

Ricardo Brito,

26 de junho de 2012 | 12h07

Brasília, 26 - O presidente da CPI do Cachoeira, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), anunciou nesta manhã que pediu à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal que informe se um assessor seu, Rui Brito Souza, tem algum envolvimento com o grupo do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Reportagem publicada no jornal O Globo de ontem mostrou que Brito Souza foi flagrado conversando com Francisco Marcelo Queiroga, que atuava com o grupo de Cachoeira e teve seus telefones grampeados com autorização judicial.

Vital informou à comissão que seu assessor lhe disse que tomou um empréstimo de caráter pessoal com Marcelo Queiroga, tendo-o quitado por meio de cheques. Ele disse que Brito Souza trabalha com ele desde o início do mandato, assessorando-o na Comissão de Ciência e Tecnologia da Casa.

Mesmo assim, o presidente da CPI disse que enviou ofícios para procuradores e delegados das operações Vegas e Monte Carlo, que investigaram Cachoeira, para saber se há indícios de envolvimento de Brito Souza com o grupo do contraventor.

Tudo o que sabemos sobre:
cpi cachoeiraassessor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.