Senador Paulo Paim, do PT, diz que votará contra mínimo

O senador Paulo Paim garante que votará contra o salário mínimo de R$ 260, mesmo que o PT decida fechar questão. Durante entrevista ao Jornal da Cultura o vice-presidente do Senado adiantou que não terá como acompanhar a posição governista. "Eu votarei contra", destacou o parlamentar gaúcho. "A decisão de fechar questão é uma decisão que o partido pode tomar, se assim o entender", explicou. Porém, ele lembrou que é dono do próprio voto e votará de acordo com a consciência. "Eu com certeza não acompanho os R$ 260. Votarei contra e vou trabalhar para buscar uma saída negociada com o próprio Executivo." O petista disse ainda que não concorda com a análise do ministro Aldo Rebelo de que os parlamentares da base governista votarão unidos pelo mínimo proposto pelo Executivo."Os números que nós estamos trabalhando no Congresso mostram um quadro diferente", frisou. "Eu nem vou entrar no mérito da Câmara", afirmou referindo-se a um documento que teria recebido assinado por 22 deputados federais do PT dizendo-se contra a proposta do governo. "Mas vou trabalhar com o cenário do Senado: em torno de 53 dos 81 senadores apontam que votarão num salário mínimo maior do que R$ 260."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.