Senador é investigado por crime de responsabilidade

Mesmo com uma absolvição no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o senador Arlindo Porto (PTB-MG) ainda está sendo investigado por crime de responsabilidade e crime eleitoral (abuso de poder econômico) no Supremo Tribunal Federal (STF). Desde maio de 1998, a petição está na Procuradoria Geral da República (PGR) para análise. O inquérito também está na PGR desde agosto de 1999, de acordo com informações do STF. Em junho do ano passado, o senador enfrentou um julgamento apertado no TSE. Por quatro votos a três, os ministros negaram o pedido de cassação do mandato de Arlindo Porto feito pelo PT e por Virgílio Guimarães de Paula, candidato derrotado nas eleições de 1994. Porto era acusado de abuso de poder econômico e uso indevido da máquina administrativa naquelas eleições. A ala majoritária dividiu-se em duas interpretações. Os ministros Eduardo Alckmin e Costa Porto concluíram que não houve abuso. Os ministros Maurício Corrêa e Sydney Sanches alegaram que os fatos não influenciaram o resultado porque Porto teve ampla maioria de votos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.