Senador do PMDB será processado por desvio de US$ 13 mi do BNDES

O senador Luiz Otávio Campos (PMDB-PA) será processado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) acusado de envolvimento no desvio de U$$ 13 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e repassados ao Banco do Brasil para a construção de treze balsas da empresa de seu sogro e da qual ele era diretor em 1992. As balsas, segundo denúncia do Ministério Público Federal do Pará, nunca foram construídas. Em seu lugar foram apresentadas ao banco balsas velhas e repintadas como se fossem novas.Campos deverá responder por suposta prática de crime contra o sistema financeiro nacional e falsidade ideológica. A decisão do plenário do STF de processar o senador, aprovada ontem por maioria, teve os votos contrários dos ministros Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes. De acordo com a denúncia do MPF, o financiamento foi pedido em nome da empresa de transporte fluvial Rodomar, de Belém. A Rodomar se associou ao Estaleiro da Bacia Amazônica (Ebal) para receber o dinheiro, mas não construiu as balsas. Representavam a Ebal na transação os irmãos Paulo Érico e André Moraes Gueiros.O senador não foi localizado em Brasília para comentar a decisão do STF. Em Belém, ele também não foi encontrado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.