Senador do PL está na lista dos que exploram trabalho escravo

O senador João Ribeiro (PL-TO) e o fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, acusado de ser um dos mandantes do assassinato da missionária Dorothy Stang, são os dois novos integrantes do Cadastro dos Empregadores, conhecido como ?lista suja?, que contém o nome de empregadores flagrados explorando mão-de-obra escrava em propriedades rurais.A nova versão da lista foi divulgada na terça-feira, 1°, pelo Ministério do Trabalho. Foram incluídos 26 novos nomes, totalizando 178 infratores. Por decisão judicial, 30 empregadores foram retirados provisoriamente da relação. De acordo com os dados divulgados, o senador do PL é proprietário da fazenda Ouro Verde, no município de Piçarra, no sul do Pará, onde a fiscalização encontrou 35 trabalhadores em situação degradante. As indenizações que deverão ser pagas somaram R$ 76 mil. Já o fazendeiro Vitalmiro é proprietário da fazenda Rio Verde, na zona rural de Anapu, no Pará. A atualização semestral da lista consiste na inclusão de nomes de empregadores cujos autos de infração não estejam mais sujeitos a recursos. A atualização também contempla a exclusão daqueles que, ao longo de dois anos, contados de sua inclusão no cadastro, corrigiram as irregularidades identificadas pela inspeção do trabalho.Dos 38 empregadores com perspectivas de exclusão pelo decurso de prazo, apenas 12 foram excluídos, por preencherem os requisitos exigidos. As principais causas de manutenção do nome no cadastro são a não quitação das multas impostas, a reincidência na prática do crime e o trâmite das ações no Judiciário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.